terça-feira, 1 de março de 2011

Tentativas


tenho estado nestes lençóis
com alguns anjos
com mil demônios
milhões de línguas
unhas, unhas, unhas

e são várias as cicatrizes
de lembranças mal dormidas
carcomidas em amanheceres
plúvios

carrego o peso desta loucura
e arrasto os mesmos olhos nas costas
das noites insones
dos sonhos vermelhos
do sangue
da solitária lágrima
do sêmen

mas a vigília
espera
sempre
a noite
se repetir

até que a viagem se complete

(Celso Mendes)

10 comentários:

Fernand's disse...

mesmo que não percebamos, o coração sempre espera.


bjsmeus

CARLA STOPA disse...

É, em algumas lindas histórias, os diabos são anjos...

Suzana Martins disse...

Hoje eu não tenho palavras.
Pego uns versos seus e me defino aqui

"são várias as cicatrizes
de lembranças mal dormidas
carcomidas em amanheceres
plúvios"

..........

Suzana Martins disse...

P.s.: Querido, gostaria de convidá-lo pra escrever no meu blog nessa sexta-feira, que achas??
Me escreve: suzana.martinss@gmail.com
Espero vc...

Beijos

Abraão Vitoriano disse...

na sua mão
a palavra
asa
de
luxo


abraços,
do menino-homem


cá me hospedarei!

continuemos...

ErikaH Azzevedo disse...

Pra cada noite , um amanhecer...essa é um certeza que levo sempre comigo a me confortar.

Sensual e triste teu poema, contraditório mas muito bonito. Escreves como quem sangra.

Bjos


Erikah

Maria G. disse...

Da memórias das sensações às sensações de incompletude num lirismo que toca o real!

M.G.

Maria do Carmo Antunes disse...

Vim retribuir a visita e fazer uma reciclagem. É sempre muito bom ler seus poemas. Bjs.

Jarbas Siebiger disse...

é meio cíclico, isso, mas penso que esse o metabolismo da coisa

abraço!

Lara Amaral disse...

Uau! Perfeito!