quinta-feira, 10 de março de 2011

Cantata


eu tenho uma saudade circulando nas veias
saudade que gira, que me entontece
uma saudade que me compõe
que se me impõe

fora de mim é frio
o amor que esquento entre as vísceras
escondo das hienas

fora é frio e o vento fere
pele sobre pele
enquanto minha poesia se dissipa

eu tenho uma saudade que me assusta
e que me aquece

uma saudade no sangue
rubra
amarela
furta cor
da cor que eu pintar

e tenho as cores que quero
e as que não quero
cá em mim

fora é frio, mas tem os lábios
sim, os lábios
tem os lábios que me banham

e das certezas que não tenho
acomodo-as num ventre quente de mulher
aconchego-me

e assim rasgo o tempo que vi
canto horas que ouvi
carrego dias
acalanto magias

(Celso Mendes)

13 comentários:

Cervan disse...

"fora de mim é frio". Muito bom Celso! Abraço!

Lídia Borges disse...

Da saudade que se faz presença circulando nas margens da dolorosa ausência.

Muito bonito!

Um beijo

Suzana Martins disse...

Eu tenho uma saudade em mim que faz feliz, que me deixa nostálgica, que me entristece. Eu tenho uma coleção de saudades que brinda em mim momentos perfeitos.

Tenho uma saudade do cheiro da vontade de sorrir e viver...

Tenho saudades em mim!!!!

Beijos....

Celso Mendes disse...

Obrigado, Cervan, Lídia, Suzana...

É bem por aí mesmo Suzana, o que eu queria expressar nesse poema.

Abraços a todos!

Ana F. disse...

saudade e texto fluidos...

lindo!

Celso Mendes disse...

Obrigado, Ana! Fico feliz por ter gostado.

Beijo.

Jorge Pimenta disse...

caro celso,
a saudade faz morada na pele de todos aqueles que um dia se entregaram a alguém. no carrossel das sensações por ela impostas - ora frio polar, ora calor tropical - escondem-se as dúvidas maiores: saudades de quê? do que passou ou do que nem sequer chegou?
um forte abraço, poeta! é um prazer estar por aqui.

Celso Mendes disse...

Jorge, fico muito feliz com a presença de um poeta de teu naipe por aqui.

Grande abraço!

Daniela Delias disse...

Querido Celso! Que lindo o teu poema...aproveito para agradecer as tuas doces visitas lá no blog! Tem faltado tempo pra estar mais presente nos blogs amigos...bjão, com carinho.

Fernand's disse...

tive uma saudade quase indomesticável, mas dei um jeito nela!


rsrs
bjsmeus

Celso Mendes disse...

Há saudades que não se domam muito fáceis e há aquelas que queremos guardar pra sempre...

Daniela e Fernand's, grato pelas presenças.

Beijos.

Ana Morais disse...

A saudade que faz morada, adormece, se alimenta e volta, volta cada vez mais forte. Ah saudade, se eu pudesse matar pelo menos um pouquinho de ti, em cada ida e vinda.

É um grande prazer tê-lo no meu blog, sempre tão presente. Obrigada pelas suas visitas.

Um abraço forte divino poeta,

Ana M.

Celso Mendes disse...

Obrigado, Ana. Ler-te é um prazer e fonte de inspiração.