quinta-feira, 21 de julho de 2011

Urso Polar



Sou tão somente o que queira que eu seja

Um inimigo se suas setas não me alcançarem
Esses destroços do que os canhões não atingiram
Um companheiro se sua adaga me ferir
A lua nova dos que já não precisam luz
E este inferno onde o escuro brinca de pirilampo

O que quiser, eu sou

Uma montanha se quiser me atravessar
Um precipício se este azul escurecer
Um oceano se todas as nuvens queimarem
E o dono deste segredo que sempre me acompanhou

Sou o fantasma que quer roubar os seus sonhos
Sou um gigante rastejando pela bruma
Um transeunte perdido em vôos solares
Aquela árvore que repudia raízes
Aquele rio que leva todas as folhas

Mas se quiser, eu posso ser
Apenas um monte de lã branca

Se sua aura não me der esse calor
Sua saliva não matar a minha sede
E sua lágrima não for

Minha
         Água
                Gelada
                         Onde nado
                                    A alimentar-me

(Celso Mendes)

20 comentários:

Sandrio cândido. disse...

Celso
É tão bom poder ser tudo que a pessoa amada quer,teu poema é um convite ao amor.
Abraços

Suzana Martins disse...

sou apenas uma apreciadora de versos que calam a minha alma...

beijos querido

Celso Mendes disse...

revirando meu "baú" de coisas guardadas, lembrei desse. teve uma época que urso-polar simbolizava muito pra mim. mas isso é outra história...

Pastelaria disse...

Olá Celso

Antes demais ...parabéns pela escrita ! gostei...

Gostaríamos muito que desse uma vista de olhos no projecto DVB, de saber a sua opinião, e qual o interesse em desenvolver o seu trabalho neste novo formato.

\"Transformamos\" os seus trabalhos (já editados em livro, ou não ...), num DVB- Digital Video Book, uma ideia original da Pastelaria Studios Productions

O projecto é recente, é uma inovação, tal como explicamos no nosso blogue:

http://pastelariaestudios.blogspot.com/

É exactamente isso, os seus poemas seriam "transformados" num DVB . Um livro que se vê como um filme ( com menu , extras, biografia, capítulos, etc... )

Não somos uma editora e prestamos essencialmente um serviço criativo.

A minha sugestão seria, enviar-nos os seus \"registos\", e nós faremos um orçamento.

Posso adiantar que, por ser um projecto novo e, embora o trabalho criativo (audio, voz, imagem, construção do DVB, etc) seja bastante, queremos chegar ao maior número de autores de obras escritas, mesmo que essas estejam (ainda...) na gaveta .

Realizamos e produzimos, também , Audio Books

Fico a aguardar uma resposta e, qualquer dúvida… estamos por aqui.

A sua opinião é muito importante para nós, pois só assim conseguiremos crescer e melhorar sempre ! e.... porque não, arriscar ?!

Sem compromisso,-----------------escolha um dos seus poemas ou textos … e nós realizamos uma pequena amostra do nosso trabalho, é um presente nosso …para si ….

Um grande abraço desde aqui

Teresa Maria Queiroz

pastelariaestudios@gmail.com

podem seguir o que vou escrevendo em...
http://continuandoasim.blogspot.com/
OBrigada ! :))

Tania regina Contreiras disse...

Celso, guardando essa pérola? Como assim? :-) Essa metamorfose é qualquer coisa de linda e amei essa imagem do escuro brincando de pirilampo!
Beijos,

OceanoAzul.Sonhos disse...

Celso, li e desejei ler novamente. A beleza do poema fala por si só.

Um beijo
oa.s

marlene edir severino disse...

Este poema do "Trajetórias" conheço e gosto muito!

Beijo, amigo!

Dolce Vita disse...

Belíssima e instigante construção poética.

Nesse urso polar tantos sentidos simbólicos parecem esperar pelo olhos de quem é capaz de ver além do monte de lã. Ou quem sabe, também pode significar o espaço de contato das relações que se preenchem ou esvaziam.

Viajei com este urso polar! :)

Beijos

CARLA STOPA disse...

Árvore que repudia raízes...Forte.

Lídia Borges disse...

"Um monte de lã branca" com Vida dentro, uma vida que se quer ver respeitada.

Uma bela leitura.

Beijo

blog. da Tereza Maria disse...

Olá,
Estou aqui para conhecer seu espaço.
Qunatos dlogs, quantas pessoas você consegue reunir em nome da arte e da poesia.
Belas postagens encontrei aqui.
Sentir-me-ei honrada com sua visita.
Beijo na alma!
Saudações Poéticas!

Cris de Souza disse...

seja sempre este poeta que toca nossos sentidos.

beijo, meu caríssimo!

Assis Freitas disse...

um manto branco de sentidos, todas as direções

abraço

Milene R. F. S. disse...

Um urso polar sedento de amor! Belo Celso!

Weslley Almeida disse...

Rica complexidade... Gostei das imagens nas palavras!
Abraço, Celso!

Lua Nova disse...

Esse poema é o exemplo claro do que vc disse no seu perfil:...manipular palavras, rompendo suas significâncias triviais, pode revelar muitos segredos.
Fiquei curuiosa para saber que "muitos significados" teve o urso polar pra vc. Vc podia contar essa outra história, né não?
Beijokas.

Jorge Pimenta disse...

querido amigo celso,
do tanto que se deseja e do tão pouco que se consegue tocar. como os caminhos a percorrer, afinal: tantos e tão diversos para pernas curtas e breves... já no limite da viagem, a hibernação é apenas o que de mais branco podemos almejar.
verdadeiramente inquietante a viagem que aqui nos propões, poeta!
um abraço em devoção poética!

Sandra disse...

Excelente! Excelente!
Sem mais palavras.
Beijinho

Tiago do Valle disse...

Fala, Celso! A Dolce Vita me indicou o seu blog, e logo vou agradecer a ela. Eu amei a sua escrita... A sua honestidade, a sua profundidade... Parabéns pelo blog, pelo talento e sucesso!

manuela barroso disse...

A verdade inquietante!
Seremos tudo e nem sabemos se somos aquilo que sabemos...
Uma poesia toda ela alegoria, numa mensagem fantástica como tudo o que escreve, Celso.
É um prazer partilhar seus poemas!
Abraço
MB