quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Abstrações sobre estrela, queimaduras, pérola e cicatrizes

há dias em que todo escuro
escorre em minha saliva
e eu digo da ausência da palavra
e eu digo destas auroras-abismo repletas de vazios
dos mergulhos por onde me embrenhei
das manhãs e tardes insanas
à espera do consolo da noite
quando em minhas mãos
eu tinha a esperança do teu tanto brilho
a queimar-me as palmas

são nesses dias que recordo
ante o precipício de espanto das minhas midriáticas pupilas
o lado negro do arco-íris

sim, toda pérola tem a lembrança da areia úmida
e toda luz já foi matéria em combustão

e este canto não é um lamento
é apenas a memória de um tempo
em que te imaginavas minha
qual uma estrela que me caia
mas me feria
ao tentar reter
nesta brevidade de ser
a eternidade
do teu calor
a tua luz

(Celso Mendes)

18 comentários:

Suzana Martins disse...

"sim, toda pérola tem a lembrança da areia úmida
e toda luz já foi matéria em combustão"

Achei isso tão bonito!!!

As lembranças da areia úmida revela em nós pérolas de poesias e versos inteiros...

Beijos querido

marlene edir severino disse...

E são esses vazios que propiciam tão belos mergulhos na palavra, feito este teu...

Bom demais!

E estava com saudade da tua poesia, amigo!

Afetuoso abraço, Celso!

OceanoAzul.Sonhos disse...

Na ausencia da palavra existe ainda o silencio que percorre a alma e nos serve de consolo na noite, mesmo na ausencia de luz, mesmo na ausencia da palavra...

Snow Patrol, uma da minhas bandas preferidas e esta musica em particular, é linda.
Belo momento.

Beijos
oa.s

MIRZE disse...

LINDO, Celso!

Todo escuro nos lembra a luz, mas a luz que mais brilha é a interior que você expõe tão bem nesse poema!

Parabéns, poeta!

Beijos

Mirze

Luna Sanchez disse...

E as palmas das mãos queimam pela esperança que seguram, pelo brilho que há nela e pela força que fazem tentando arrancar as palavras de dentro, que só saem, na verdade, quando se julgam prontas, mesmo que a gente não concorde com isso.

Beijos, moço.

rauau disse...

bonito! Abraço, Celso

Lídia Borges disse...

"sim, toda pérola tem a lembrança da areia úmida
e toda luz já foi matéria em combustão"

Concordo!

Gosto muito desta escrita salpicada de emoções.

Um beijo

L.B.

Jenny Paulla disse...

em chamas ficamos quando acabados e novamente ardemos ao recordar de que não foi possível simplesmente continuar e permanecer. foi insuportável aceitar a nossa possível exaustão em tentar instigar o amor. mas a pérola está límpida e a areia está intrinsecamente em seu ser.
saudades de passar aqui,amigo Celso!
abçs

Dolce Vita disse...

Belíssimo! Não se pode reter alguém, muito menos por amor...

Ler-te é sempre bom demais.

Beijos

Jorge Pimenta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jorge Pimenta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jorge Pimenta disse...

querido amigo,
a tua escrita é verdadeiramente apaixonante! além disso, há coincidências e acasos felizes. o teu texto imenso conduz-nos à embriaguez do ser quando adormecido sobre a lápide da memória e da nostalgia. há frutos de que apenas se come a metade, tornando-se (tornando-nos) incompletos para o tempo dos homens e da poesia. curioso ter discorrido, ontem, em torno do mesmo mote.
celso, poemaço, o teu! nenhuma pele sai inteira da sua leitura.
um forte abraço!
p.s. não sei o que está a acontecer... os meus comentários têm sido sucessivamente suprimidos... a ver se à terceira é de vez.

Assis Freitas disse...

o lado negro do arco-íris me lembra os delicados trovões, daqueles rumores que na brevidade ensandeciam,



abraço

Tiago do Valle disse...

Forte e extremamente bonito. "Toda pérola tem a lembrança da areia úmida..."

Wania Victoria disse...

Celso querido

Só as palavras conseguem perpetuar a brevidade do sentir! A mémoria é traiçoeira...


Teu canto, encanta, meu amigo!
Bj grande

Batom e poesias disse...

"e este canto não é um lamento
é apenas a memória de um tempo
em que te imaginavas minha"...

A saudade é sempre um canto de dor.
Belo poema, meu caro.

bjs
Rossana

Maria do Carmo Antunes disse...

Uau! E que pérola! Show!

Fátima disse...

Oi Celso.

Visitando pela primeira vez tua página e encantada com tuas palavras
Adorei toda poesia que há em você.

Beijo meu