quarta-feira, 15 de junho de 2011

Sobre frutas e corredeiras


deste teu olhar de pingo de jabuticaba em fruta-carmim
[pomo de dar fome em olhos meus]
abasteço-me
teço sonhos, enfeito ares
broto-me água de pedra ressequida
e fluo-me a ti

navegante e rio
rasgo leito rochoso
a debulhar as folhas
[que te ofertarei verdejantes]
das margens deste trajeto
rumo cachoeira/lago-alvo
onde nadarei
cegamente
teu sal
e me afogarei
sôfrego
em teu sol

(Celso Mendes)

18 comentários:

OceanoAzul.Sonhos disse...

Celso, que linda travessia... margem de rio embelezado por folhas verdejantes, cachoeira perfumada, salpicada dum tentador sabor natural.
Magnifico!
Um beijo
oa.s

Kiro Menezes disse...

Apaixonante ♥

CARLA STOPA disse...

Lindos...Imagem e texto...

Menina no Sotão disse...

As vezes alguns versos simplesmente me deixam em silêncio, como se cada linha fosse um sopro do vento a me dizer coisas junto aos ouvidos. rs
Apaixonante seu versar de hoje.

bacio

rauau disse...

bonito... abraço

Suzana Martins disse...

Dentro do teu olhar há pomares que produzem sentimentos que só tu consegues transmitir. Dentro dos teus sentimentos há verdades incríveis sentidas por mim... Dentro de mim há tanto de ti que chego a confundir-me...

Lindo e lindo, meu querido...

Beijos

Cris de Souza disse...

delícia de lira, doutor!

este poema é um sussurro daqueles...

beijos cristais.

Parole disse...

Me encanta a forma como você desenvolve suas poesias... elas são aveludadas ou como disse a Cris de Souza, um sussuro...
Belíssima!!! Amo te ler.

Beijos

Jorge Pimenta disse...

há olhares que são o mar e todo o seu navegante. ousar é mergulhar sem rota ou rumo à espera que as correntes façam ninho nas covas de pele onde se escondem os mais recônditos segredos.
abraço, poeta amigo!

Milene R. F. S. disse...

Que lindo Celso!Me encantou esse seu poema de olhos cor de jabuticaba... uma travesia cheia de emoções, beijos.

Mari entre linhas disse...

Oi Celso. Quanta beleza você faz com as palavras. Elas, belas por si só, ainda mais belas na sua organização.

Desculpe a demora para responder seus comentários. Obrigada por passear em meu blog!
Aquele vídeo que está em uma das postagens é de uma banda chamada A banda mais bonita da cidade. Você pode ver e ouvir mais músicas no you tube. Quem me dera fazer parte, rs... Ainda não descobriram meu dom para música. Na verdade, nem eu mesma descobri, rs.

Abraço,

Mari entre linhas

Celêdian Assis disse...

Olá, Celso!

O poder de sedução de um olhar, o poder que ele tem de nutrir as fantasias da alma, perfeitamente análogo às delícias da fruta que igualmente alimentam o corpo. Tal como as corredeiras, um convite a navegar nele (olhar) e sorver da sua água gosto e calor.

Você realmente manipula as palavras e dá-lhes sentidos poéticos muito agradáveis.
Um abraço.
Celêdian

Wania disse...

Celso

Só o amor sabe o caminho de volta para a nascente! Delíciosas são estas corredeiras...


Bjs

Ana Morais disse...

Me afogo nos teus versos, estava com saudade desse imenso relicário.

Um abraço poeta, bem forte.

Daniela Delias disse...

Como consegue o poeta dizer algo tão lindo quanto "olhar de pingo de jabuticaba em fruta-carmim..."? Que coisa mais bonita, Celso. Bjo carinhoso!

« Katyuscia Carvalho » disse...

"frutificar" os olhos é visão frondosa... todo o poema, uma artimanha a saborear.

líria porto disse...

lembrei-me de algo antigo, é mais ou menos assim:

canto para embalar tristezas
líria porto

os olhos daquela moura
parecem jabuticabas
vontade sentir-lhe o gosto
vontade beber-lhe as lágrimas

o macio dos meus braços
sabe o balouço das ondas
se a moura quiser dormir
até que o faça
balanço-a


***

besos


abração

Dolce Vita disse...

Ler-te é um privilégio!


Belíssima construção poética!


Beijos