quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Poema Abissal


gutural
este grito
aprisionado
lançado
entre o azul-perdido
que persigo
e o negro-nada
que me cala
enquanto a palavra
imersa
fria
aguarda o voo
mas se faz mergulho

(Celso Mendes)

2 comentários:

Lara Amaral disse...

Vim pelo facebook, gostei muito dos seus escritos.
Prazer!

Beijo.

Celso Mendes disse...

Pois é, seguimos os mesmos caminhos quase simultaneamente! rs Também achei muito bom seus textos e fico muito grato pela visita!

Beijo!