sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Mais uma estória de uma noite sem fim

era a estória de uma noite
não uma noite qualquer
era uma noitestória de amor
onde estrelas miravam-se
vaidosas
e disputavam seu luzir no negro das águas
hipnóticas

era uma noite, percebam, única
uma minhaestória
em que o fogo permanecera guardado no céu da boca
e as palavras
paralisadas
eram apenas silêncio de cometas
a rasgar lembretes
nuas de parênteses

era uma noite urgente
era uma estória onde o lume da ausência
acendia a mais recôndita sombra da memória
na mais escura das noites videntes
que passou por mim
e ficou
calada

era uma estória sem fim e indefinível
de uma noite indefinível e sem fim
ou
talvez
apenas uma noite de renováveis esperas
e solidão

era uma noite, enfim
era uma noite assim

(Celso Mendes)

30 comentários:

CARLA STOPA disse...

A história de uma noite urgentemente sua...

A.Yunes disse...

teu jogo de palavras sempre encanta, meu amigo...

fã sempre.

Dhenova

Natália Campos disse...

Bela noite. Bela, não. Belíssima noite!

Beijos, querido.

Joelma Bittencourt disse...

e a estória segue... noite adentro, sem fim...

Beijinho com admiração, Celso!

cirandeira disse...

Olá, Celso, vim agradecer a visita,
e conhecer teu espaço, que demanda
noites e dias sem fim para apreciá-lo com calma e muita reflexão!
Voltarei em breve!
Aproveito a oportunidade para desejar-te BOAS FESTAS e noites e noites de renovávies poemas!

um grande abraço

Suzana Martins disse...

era uma noite de jogos em fogo. uma noite de silêncio e cometas onde eu cometia desejos infindáveis.

lindo e lindo, amigo!

beijos

manuela barroso disse...

Dificilmente alguém conseguirá descrever a melancolia de uma noite de tão inebiante amor, a um tempo tão terna, e ao mesmo tempo suspensa, numa fome de de sentimentos que ficaram por cumprir...que nos deixa a nós inqueitos como que pendurados numa estória tão doce mas inacabada.
Palavras que se entrecruzam numa harmonia perfeita,e em que por mais que tente...não há comentários. Sim admiração!
Eles, comentários, ficam "guardados no céu da boca" porque não são suficientes...
Fraterno abraço, Celso.

Dolce Vita disse...

"Noitestória"... Que maravilha, Celso!

Beijos

Tania regina Contreiras disse...

Uma noite como das mil e uma, sem fim, e tão bela: lindo poema, Celso!
Beijos,

MIRZE disse...

Celso, grande poeta!

Hoje, à noite, sonharei cometas silenciosos, eu sei~

LINDO DEMAIS!

Beijos

Mirze

Assis Freitas disse...

eu lembrei de um poema de Neruda que fala da noite como um ser atemporal que a tudo traga com seus astros, lumes, enquanto nos damos conta de que a imensidão não tem limites,



abraço

Luna Sanchez disse...

"O fogo guardado no céu da boca" (adorei isso!) flamba a Língua.

Não o músculo e sim a linguagem : compromete as futuras palavras, penso.

O ideal é que ele só as aqueça...rs

Eu e minha mente em ebulição.

Gostei demais, Celso, li e reli.

Um beijo, moço querido.

Daniela Delias disse...

Uma estória bonita de se ler!
Bjos, amigo!

Fred Caju disse...

Porque noites boas nunca terminam.

Jorge Pimenta disse...

noites longas, noites breves, noites sem ocaso ou aurora, apenas novelo de fio único, a cruzar as mãos que escrevem o tempo, noites na primeira pessoa, noites em tecidos de singular, em fragmentos de plural, noites-luz, noites-sombra, noites-eu, noites todos-os-eus, noites sem eu nem eus e ainda menos tu e tus, noites, simplesmente noites, elas mesmas. o petróleo extingue-se no pavio da candeia.
abraço-vida, querido amigo!

Tiago do Valle disse...

Celso, você é um grande poeta, enfim. Para escrever assim... Parabéns, adorei a temática noturna hipnótica.

Lídia Borges disse...

Uma noite que se alonga do corpo à alma da alma ao poema escrito em tom de esperas.

Esperas que na noite se fazem infinitas.

Lindo!

Um beijo

Menina no Sotão disse...

Era uma noite feita de silêncio, preenchida com possibilidades. Adoro noites dentro uma da outra, daquelas que se espalham pelas janelas lá de fora e parece que nunca acaba, mas basta abrir os olhos pra se perceber o brando do dia. rs

bacio

OceanoAzul.Sonhos disse...

Noites que nos tocam, sentimentos, palavras que em silencio iluminam o nosso ser, numa noite dessas, onde a poesia abre portas às estrelas e ao sonho.

Excelente, poeta! Saudades de vir aqui...

Obrigada pelas palavras deixadas no Oceano.
beijinhos
oa.s

Parole disse...

Há noites assim...

"em que o fogo permanecera guardado no céu da boca
e as palavras
paralisadas
eram apenas silêncio de cometas
a rasgar lembretes
nuas de parênteses"

Encantador!

Feliz Natal, querido e um ótimo início de ano.

Beijinhos.

Ricardo Mainieri disse...

Uma noitintensa, uma noitinteira, noturnavegando sentimentos.
Gostei de teus neologismos, Celso, e criei outros por conta.

Abração.

Ricardo Mainieri

Batom e poesias disse...

O Assis lembrou de Neruda e eu de Ivan Lins:

"A noite tem deixado
Seus rancores gravados
À faca e canivete
À lápis e gilette
Por dentro das pessoas
Por dentro dos toilettes e mais..."

Vim para desejar-lhe boas festas e um ano novo cheio de poesia.

bjs
Rossana

carmen silvia presotto disse...

Celso chego a tempo de me iluminar por tuas estrelas vaidosas e por demais poéticas, para também te desejar um Feliz Natal e um 2012 tecido de atos poéticos e muito amor de construção.

Carinho,

Carmen.

Wania disse...

Celso querido,


Noites assim nuuuunca amanhecem!


Belíssima composição poética, como sempre, meu amigo! Delícia de ler!


Aproveito a passagem para agradecer a tua presença carinhosa e incentivadora no meu cantinho e te desejar um Natal iluminado junto dos teus. Que 2012 seja pleno de realizações!


Bj grande,
Wania

Jorge Pimenta disse...

querido amigo celso,
deixo-te aqui um forte abraço natalício, com a certeza de que a blogosfera me mimou, no dia em que nos fez cruzar os passos.

manuela barroso disse...

Nesta noite com história, deixei a história correndo...e vim num salto só para lhe desejar uma noite especial, de Natal. Quer se acredite Nela... quer não!
Um fraterno abraço, Celso.
Bjis

dinha'' disse...

Bem, eu tenho temido mudar, Porque eu construí minha vida ao seu redor, Mas o tempo traz coragem; crianças envelhecem, Estou envelhecendo também.(sinopse do meu blog)
Acessa o meu blog?
"Crianças Envelhecem"

http://criancasenvelhecem.blogspot.com/

Espero a sua visita, se gostar do meu blog, segue lá, ficarei muito feliz.
Desde já obrigada, tenha uma ótima semana.
Atenciosamente Dinha".

MIRZE disse...

Celso!

Desejo-lhe um Natal de muita PAZ, através da sua poesia encontramos o amor em cada verso.

Que seu ano seja de LUZ!

Beijos

Mirze

Fátima disse...

Celso

Vim desejar um Ano Novo repleto de realizações, sejam elas em amor, saúde, paz, sucesso, prosperidade.
Que bençoas lhe caiam.

Beijos, um abraço meu

MIRZE disse...

Celso!

Poeta querido! Aqui estou para desejar um ano de muita PAZ.

E POESIA, claro!

Beijos

Mirze