sexta-feira, 11 de abril de 2014

Sussurros


o sussurro de um segredo me assusta
me aflige
a solidão do silêncio não
[mas ambos me excitam]

eu creio na verdade da brisa
pois não domino
a pureza da luz
ou a franqueza do escuro

só sei o que sou
sou só o que habito
habito o que sinto:

a pele é testemunha da chuva
e cada lágrima da lua emociona

(Celso Mendes)

6 comentários:

Márcia Poesia de Sá disse...

Dio mio! valido foi cada segundo dessa espera...que poema mais lindo que entra na alma como brisa e fica rondando por lá, que honra em ser amiga de uma alma que a cada dia que passa se torna mais e mais poesia! obrigada Celso por cada emoção que me provocas, adoro ler você. Abraço de admiradora inequívoca.

Antonio Carlos Rocha disse...

A brisa dos sentimentos é a suave melodia que flui desses versos e n os encanta.

Cris de Souza disse...

Eu creio em sussurros...

Beijo!

cirandeira disse...

O sussurro é o esqueleto da palavra. Ele a persegue em noite
de lua pela brisa fora...

Beijos, meu querido amigo!

marlene edir severino disse...

E alguns silêncios dizem muito mais do que qualquer palavra.

Abraço carinhoso, poeta!

Lê Fernand's disse...

a lua e seu poder de nos envolver... não temos pra onde correr!